sexta-feira, 16 de maio de 2014

SOBRE O USO DO CELULAR EM SALA DE AULA

SOBRE O USO DO CELULAR EM SALA DE AULA

É preciso discutir o uso deste aparelho e disciplinar sua função em uma sala de aula.


Começaremos lembrando que a lei estadual 12.730 de outubro de 2007 (São Paulo) proíbe o uso do celular em sala de aula, e que cabe à escola disciplinar o seu uso.

Sabemos que o celular é um equipamento que faz parte da própria indumentária das pessoas e que hoje em dia esses equipamentos possuem uma capacidade tal que podemos dizer que é um mini-notebook além de fotografar, gravar entre outras coisas. Hoje podemos afirmar, inclusive, que o celular hoje já faz parte do corpo humano. Mas na escola, portar celular ainda é um tabu.

A UNESCO publicou em 2013 um relatório, ou melhor, um guia com 10 dicas para o uso de tecnologia móvel. Reproduzimos abaixo o infográfico que explica essa situação:



Observe que o infográfico ilustra, de forma positiva, as vantagens de se utilizar o celular em diferentes contextos, trazendo a tecnologia para o benefício humano e seu desenvolvimento. As dicas apresentadas são muito validas, se levar em consideração o princípio básico de que o aluno está na escola para estudar.

Numa pesquisa recente, um professor associado da Universidade de Nebraska, entrevistou diversos alunos em alguns estados americanos e descobriu, pasmem, que o uso de celulares é muito mais frequente do que se imaginava. Bom, não é preciso dizer que nós aqui no Brasil sabemos disso sem fazer qualquer pesquisa, basta prestar atenção nas mãos dos alunos durante uma aula. Seja no ensino básico ou superior, raramente estão segurando uma caneta ou um lápis. Mas voltando à pesquisa, ela revelou que 68% verificavam os e-mails, 66% visitavam as redes sociais, 38% surfavam na internet e 8% simplesmente jogavam algum tipo de game durante as aulas.

No Brasil o que observamos é o uso do celular como um aparelho sonoro. Os alunos com fones de ouvido ouvem suas músicas preferidas enquanto copiam da lousa o que está sendo exposto, e é neste momento que se dá inicio às incivilidades. Os professores entram em conflito com os alunos, pois querem explicar suas matérias e querem que os alunos ouçam e os alunos, por sua vez, querem ficar “de boa curtindo seu som” enquanto o professor explica a matéria.




Um outro lado é esse perfil atual de aluno que é multitarefa, ou seja, ele consegue pesquisar um assunto, mandar e-mail e ler um SMS enviado pela namorada. Ninguém fala, mas isso assusta os professores que não consegue entender essa habilidade dos nossos alunos. Bem sabemos que o despreparo dos docentes em relação à tecnologia é algo notório e que nossos governantes não admiram e poucos ajudam os professores, pois não promovem cursos ou seminários a respeito do uso de novas tecnologias.

Desenvolver habilidades no uso de mídias móveis em sala de aula é urgente e enquanto isso não acontece vemos crescer um abismo entre o que fazemos e o que poderíamos fazer, provocando um atraso nas políticas educacionais e consequentemente um retardo no já combalido sistema educacional brasileiro.

Bem sabemos da luta inglória que Diretores e professores travam no seu dia-a-dia contra o uso do celular em sala de aula, luta inglória, diga-se de passagem. Além disso, tem-se que resolver pendengas do tipo: sumiço, roubo de cartão de memória, publicações indevidas em redes sociais e vai por aí afora.

A mudança de paradigmas na educação é algo inevitável, pois a cada dia a tecnologia toma vulto e se enraíza mais e mais na vida de todos nós. Porém, na prática da sala de aula os infortúnios se confluem para que continuemos andando na contramão da sociedade. Sim, contramão, pois se os estudos indicam que o uso da tecnologia facilita e promove o ensinamento, porque não regulamentar as normas de utilização e educar o modo pertinente de utilizá-lo ao invés de proibir? Em termos de gestão escolar iria facilitar a vida de todos os envolvidos, pois acabaria com esse dispêndio de energia para gerenciar os conflitos por conta do uso e da proibição, em termos educacionais ter-se-ia a vantagem de utilizar um equipamento voltado à pesquisa de qualquer assunto que porventura estive sendo discutido em sala de aula.

No mais, é preciso chamar a atenção novamente que, o que escrevemos acima se refere, obviamente, ao uso do celular por um aluno que está se aprofundando sobre determinado assunto e está na escola para o óbvio: Estudar!

Omar de Camargo
Técnico Químico
Professor em Química
decamargo.omar@gmail.com

Ivan Claudio Guedes
Geógrafo e Pedagogo
Assessor e consultor pedagógico

icguedes@ig.com.br

CAMARGO, O.; GUEDES, I.C. Nosso artigo deste mês é sobre o uso de celular em sala de aula. Gazeta Valeparaibana, São José dos Campos, maio. 2014, p. 9. Disponível em Acesso em: 16 mai. 2014.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...